fachada coppeA Coppe/UFRJ teve 20 professores contemplados nos programas da Faperj: 12 no Programa Cientista do Nosso Estado e oito no Programa Jovem Cientista. Ao todo, a Faperj está concedendo 279 bolsas nos editais de 2016 para ambos os programas, resultando em um investimento total de cerca de R$ 25 milhões para os próximos três anos.

A UFRJ é a instituição com o maior número de docentes (91) contemplados pelos programas, seguida pela UFF (35).  Das unidades da UFRJ, a Coppe é a instituição que obteve o maior número de bolsas (20), seguida pelo Instituto de Biofísica (8), pelo Instituto de Ciências Biomédicas (7) e pelo Instituto de Microbiologia (7).

Confira a relação dos docentes da Coppe contemplados e suas respectivas pesquisas:

 

 

Cientistas do Nosso Estado

Antonio Mauricio Ferreira Leite Miranda de Sá – Utilização da foto-estimulação intermitente em estudos neurofisiológicos e para aplicações em interfaces cérebro-computador.

Carmen Lucia Tancredo Borges – Estimação do Potencial de Geração Solar Fotovoltaica utilizando Séries de Irradiância Sintetizadas a partir de Imagens de Satélites.

Eduardo de Moraes Rego Fairbairn – Desenvolvimentos e novos desafios dentro do quadro termo-químico-mecânico de modelagem do concreto: aplicações a estruturas dos setores elétrico e de petróleo.

Fernando Artur Brasil Danziger – Ensaios In Situ, Instrumentação e Fundações.

Luis Marcelo Marques Tavares – Modelagem e simulação avançada da cominuição: inovação no projeto e otimização de britadores e moinhos.

Luiz Henrique de Almeida – Estudo do fenômeno de fratura intergranular assistida poroxidação em superligas de níquel 718.

Marcelo Martins Werneck – Nanossensores a fibra óptica para monitoramento de h2s para aplicação na área do pré-sal.

Oscar Rosa Mattos –  Desenvolvimento e uso de novas técnicas eletroquímicas no estudo da corrosão nas indústrias de óleo e gás.

Paulo Fernando Ferreira Frutuoso e Melo – Análise da Confiabilidade e de Sensibilidade de Sistemas de Proteção de Plantas Industriais Considerando Envelhecimento e Falhas de Causa Comum.

Richard Magdalena Stephan– Implantação do Projeto Maglev-Cobra  no Campus da UFRJ

Romildo Dias Toledo Filho – Materiais Cimentícios Avançados, Inteligentes e Sustentáveis para a Construção Civil.

Rossana Mara da Silva Moreira Thiré – Aplicação de Novas Tecnologias e/ou Novos Materiais para a Fabricação por Impressão 3D de Arcabouços para a Regeneração de Tecidos Ósseos.

Jovens Cientistas do Nosso Estado

Franciane Conceição Peters – Novas Metodologias para inversão de dados sísmicos

Franklin de Lima Marquezino – Algoritmos quânticos: desenvolvimento, análise e aplicações.

Gabriela Ribeiro Pereira – Inspeção e Caracterização de Aços Inoxidáveis Duplex e Super duplex Por Ensaios Não-destrutivos Magnéticos.

João Paulo Bassin– Desenvolvimento e aplicação da tecnologia de lodo granular aeróbio em condições de clima tropical visando o tratamento descentralizado de esgoto sanitário.

Juliana Braga Rodrigues Loureiro – Escoamentos Turbulentos em Geometrias Complexas: Análise das Condições de Parede.

Oumar Diene– Controle e Gerenciamento de Energia em Redes Elétricas Inteligentes com Fontes Intermitentes de Energia.

Pedro Braconnot Velloso – Desafio: distribuição eficiente e segura de informação em internet das coisas.

Tatiana Mariano Lessa De Assis – Segurança Dinâmica de Sistemas de Distribuição Ativos.

 

Planeta COPPE

dsc 9440O professor do Programa de Engenharia Elétrica (PEE) da Coppe/UFRJ, Paulo Sérgio Ramirez Diniz, recebeu o título defellow da Associação Europeia de Processamento de Sinais (Eurasip), dia 30 de agosto, em solenidade realizada em Budapeste, capital da Hungria. Anualmente, a Eurasip concede o título a quatro pesquisadores em reconhecimento a relevantes contribuições na área de processamento de sinais.

O professor Diniz recebeu o título por suas contribuições ao processamento de sinal digital, filtragem adaptativa e comunicações. Na mesma cerimônia, realizada durante a Conferência Europeia de Processamento de Sinais,  foram agraciados os professores Petar M. Djurić (Stony Brook University, EUA), Geert Leus (Delft University of Technology, Holanda)  e Michael Davies (University of Edinburgh, Reino Unido).

Saiba mais sobre o professor Paulo Diniz na seção Perfil do Planeta Coppe Notícias.

 

Planeta COPPE

214344299 1100438566658466 495870418618974095 nA UFRJ foi eleita a melhor universidade do país, segundo ranking publicado nesta segunda-feira, 19 de setembro, pelo jornal Folha de São Paulo. Criado há cinco anos, o Ranking Universitário Folha (RUF) avalia instituições públicas e privadas de todo o país, com base nos itens ensino, pesquisa científica, qualidade de ensino, internacionalização, relação com o mercado de trabalho e inovação.  A UFRJ obteve a mais alta pontuação, com 97,46, seguida pela USP, com 97,03. 

O bom desempenho dos cursos de engenharia e licenciaturas no último Exame Federal do Ensino Superior (Enade) contribuiu para o avanço da UFRJ no ranking. Segundo reportagem publicada pela Folha, o ensino de qualidade e os investimentos em pesquisas na área de petróleo, na última década, foram fatores de peso para a boa avaliação da UFRJ.

O jornal destacou a atuação da Coppe como “principal centro de pesquisa da UFRJ e instituição pioneira nos estudos de óleo e gás no país”. De acordo com a reportagem, a descoberta de reservas de petróleo no pré-sal, em 2006, foi bem aproveitada pela UFRJ, que utilizou recursos advindos de parcerias para financiar pesquisas, criar projetos e fortalecer laboratórios na área de petróleo.  

De acordo com o reitor da UFRJ, professor Roberto Leher, na área de pesquisa em energia, “a Coppe foi responsável por um trabalho visionário nos anos 1960, em articulação com a Petrobras”, ressaltou Leher matéria publicada no site da universidade. 

    

Graduação e pós-graduação integradas

A Coppe atua de forma integrada com os cursos de graduação oferecidos pela Escola Politécnica (Poli/UFRJ). A parceria entre as duas unidades foi responsável pela criação, em 2003, de quatro novos cursos de graduação: Engenharia de Petróleo, Engenharia Ambiental, Engenharia de Automação, Engenharia de Computação. Os alunos da graduação também têm a oportunidade de participar de pesquisas e projetos nos laboratórios da Coppe, que possui o maior parque laboratorial de engenharia da América Latina e corpo docente de excelência acadêmica, composto por professores com doutorado e dedicação exclusiva.

“A colaboração da Coppe com a Poli e a Escola de Química é muito positiva, pois nos ajuda a recrutar os melhores alunos da graduação e, ao mesmo tempo, possibilita que os professores da Coppe ajudem a aprimorar o nível e a dinâmica dos cursos de graduação. Essa colaboração tem ajudado a melhorar nossa avaliação”, afirmou o diretor da Coppe, Edson Watanabe.


A infraestrutura humana e laboratorial da Coppe permite que os alunos de graduação se envolvam com pesquisa básica - o que ajuda em sua formação - e com temas aplicados, o que é muito importante no aspecto motivacional. “O estímulo, estar próximo a esse ambiente de inovação, que também inclui a Incubadora de Empresas e o Parque Tecnológico, ajuda a reduzir a evasão e a ampliar a atuação do aluno na universidade", ressaltou o professor Fernando Rochinha, diretor de Tecnologia e Inovação da Coppe.

Outro critério importante na análise do RUF é a internacionalização das universidades. A Coppe colabora decisivamente para a ótima avaliação da UFRJ, ao manter parcerias inovadoras com instituições internacionais de grande prestígio, como a Universidade de Tsinghua, em Pequim, (com a qual a Coppe mantém o Centro China-Brasil de Mudança Climática e Tecnologias Inovadoras para Energia); a China  University Petroleum; a Universidade de Columbia (Centro Coppe-Columbia); e o IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas).

Confira destaques da matéria da Folha de São Paulo empdf
 

Confira a reportagem sobre o ranking universitário e o protagonismo da UFRJ, no site da Folha da São Paulo

 

Planeta COPPE

 

Quatro alunos da Coppe/UFRJ receberão o Prêmio Gilberto Velho de Teses 2015. Alexandre Solon Nery e George Carneiro Campelo foram agraciados pela melhor tese e Gustavo Medeiros Freitas e Jovani Luiz Favero obtiveram menção honrosa. A premiação, concedida pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PR-2), em parceria com o Parque Tecnológico da UFRJ, contempla as melhores teses de doutorado defendidas na UFRJ em cinco áreas: Ciências da Vida; Ciências Tecnológicas e da Natureza; Ciências Sociais e Humanas; Letras e Artes; e Tese Inovadora. Essa última categoria é destinada a teses defendidas em qualquer área ou programa de pós-graduação que tenha gerado produto ou processo inovador, não necessariamente patenteado. Os autores das teses premiadas receberão o valor de R$ 10 mil reais.  

O aluno do Programa de Engenharia de Sistemas e Computação (PESC), Alexandre Solon Nery, foi premiado na categoria Ciências Tecnológicas e da Natureza pela tese "Automatic complex Instruction Identification for Efficient Application Happing on to ASIPs". Nery foi orientado pelo professor Felipe França, do PESC/Coppe, com coorientação dos professores Nadia Nedjah (Uerj), Lech Józwiak (Universidade de Tecnologia de Eindhoven - Holanda) e Henk Corporaal (Universidade de Tecnologia de Eindhoven - Holanda).


Na categoria Tese Inovadora, o aluno George Carneiro Campelo, do Programa de Engenharia Civil (PEC), foi agraciado pela tese intitulada "Metodologia de projeto para o sistema de ancoragem de conectores de dutos flexíveis e proposição de nova tecnologia". Campelo foi orientado pelo professor Gilberto Ellwanger (PEC) e pelo professor José Renato Mendes de Sousa (Escola Politécnica - Poli/UFRJ).

Foram agraciadas com menções honrosas, na categoria Ciências Tecnológicas e da Natureza, a tese "Reconfiguração de Robôs Móveis com Articulação Ativa Navegando em Terrenos Irregulares", defendida por Gustavo Medeiros Freitas, orientado pelos professores Fernando Lizarralde e Liu Hsu, do Programa de Engenharia Elétrica (PEE); e "Simulação de Escoamentos Multifásicos Polidispersos Multivariados", de autoria  de Jovani Luiz Favero, sob a orientação dos professores Paulo Laranjeira Lage, do Programa de Engenharia Química (PEQ) e Luiz Fernando Lopes, da Escola de Química (EQ/UFRJ).

A entrega do prêmio será realizada no dia 24 ade agosto, às 10h, no auditório do Parque Tecnológico. Saiba mais sobre a premiação no site da PR-2.

 

http://www.coppe.ufrj.br/pt-br/planeta-coppe-noticias/noticias/alunos-da-coppe-sao-agraciados-com-premio-gilberto-velho-de-teses

Subcategorias


Topo